Primeiros passos para abrir uma clínica médica

Atualizado em 15/09/2021Administração

Empreender com a criação de uma clínica médica que reúne uma ou várias especialidades pode ser o sonho de muitos profissionais da saúde. Conquistar pacientes, prestar um atendimento humanizado e com equipamentos de ponta é um dos objetivos de quem pretende abrir um consultório. Antes, é preciso planejamento, investimento e foco nos detalhes- que não são poucos. Mas, não é porque há muitas coisas a se atentar que não vale a pena levar à frente um novo empreendimento. Primeiro, é preciso ter em mente que, por mais que se forneça serviços de saúde, sua clínica é um negócio. Portanto, é necessário se organizar e planejar tudo de maneira minuciosa. 

Elabore um plano de negócios

Para colocar o novo projeto em prática, é necessário elaborar um plano de negócios. Nesse documento, se descreve e define as características e o perfil de seu mercado de atuação, os serviços e ações para abrir a clínica médica. Através dele, é possível obter informações de seu mercado, dos futuros pacientes, fornecedores de sua área. 

O plano de negócios ainda possibilita analisar a viabilidade da abertura do novo empreendimento, e os pontos positivos e negativos de se montar a nova empresa. O documento também facilita para a captação de recursos financeiros, de pessoal ou viabilização de parceiros para a abertura da clínica, além de apoiar a gestão financeira e humana do negócio. 

Dentro deste projeto, o futuro dono de clínica médica ainda elabora um plano de marketing, onde constam as atividades desenvolvidas para atender às necessidades dos pacientes. Há ainda o plano operacional. Ele define como a clínica está estruturada em questões como a localização, equipamentos. Além disso, supõe a capacidade de atendimento de pacientes por mês e quantidade de colaboradores que atuarão no local. 

Por fim, engloba o plano financeiro, que contém avaliações sobre os custos para começar a empresa, despesas, receitas etc. Lembrando que o plano de negócios deve passar por revisão periódica. Apesar de ser de grande importância a elaboração desse projeto, “vale destacar que esse planejamento não elimina os riscos, mas evita que erros sejam cometidos pela falta de análise, diminuindo as incertezas do seu negócio”. A informação é do Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa (Sebrae).

Localização da clínica médica

Pense na seguinte situação: você precisa adquirir um colchão específico para ajudar na melhora das dores de coluna. Apesar de encontrar o modelo ideal em plataformas virtuais, preferiu telefonar para algumas lojas na cidade, pois, nada como testar o produto antes da compra. Ao marcar com o vendedor uma visita, você tem dificuldade para chegar ao estabelecimento. Qual a sensação teria? A imagem é de que a loja não pensa no conforto e facilidade para os clientes. O mesmo vale para uma clínica médica, que lida diretamente com a presença de pacientes no local (pessoas com mobilidade reduzida, idosos, adoentados). Por isso, a localização é um fator importante a se avaliar

É de esperar que você já saiba qual o público-alvo da sua clínica, onde residem ou trabalham, o que facilita o acesso ao consultório. É válido também pensar em um local com estacionamento, acessibilidade e se há muitas clínicas na região. Por um lado, muita concorrência pode apresentar um risco ao seu negócio, por outro, não ter nenhuma clínica pode te ajudar a ter sucesso com o empreendimento naquela região. Verifique junto à Prefeitura ou Administração Regional se no local escolhido a Lei de Zoneamento dá permissão para instalar a clínica.

Viabilizar documentos importantes 

Como toda empresa, há diversas exigências burocráticas para colocar sua clínica em funcionamento. É necessário contratar um contador para assessorar na obtenção de registros, alvarás e fornecer informações legais sobre a nova empresa. De acordo com informações do Sebrae, os documentos necessários são: 

  • Registros junto à Secretaria de Receita Federal, para obtenção do CNPJ; 
  • Registros na Junta Comercial; 
  • Registros junto a Receita estadual, para obtenção da inscrição estadual;
  • Registros junto a Prefeitura, para obter o alvará de localização e de licença sanitária; 
  • Registros na Secretaria Estadual da Fazenda; 
  • Enquadramento na entidade sindical patronal em que a empresa se encaixa, optativo após a reforma trabalhista; 
  • Cadastro na Caixa Econômica Federal (CEF) no sistema Conectividade Social; 
  • Autorização do Corpo de Bombeiros (CBM); 
  • Cadastro Municipal de Vigilância Sanitária (CMVC), do Sistema Estadual de Vigilância Sanitária (Sevisa); 
  • Obtenção do alvará ou licença de funcionamento – adequar às instalações de acordo com o Código Sanitário (especificações legais sobre as condições físicas). Em âmbito federal, a fiscalização cabe a Agência Nacional de Vigilância de Saúde, estadual e municipal, fica a cargo das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde (quando for o caso).

Os profissionais de saúde devem estar enquadrados no Conselho Regional da categoria (Enfermagem, Psicologia, Fisioterapia ou Medicina).

Invista em equipamentos da clínica

Essa é uma parte que demanda um dos custos mais altos numa clínica médica, dependendo da estrutura, tamanho e foco da empresa. Levando em consideração que a clínica deve ser integrada à internet e a sistemas importantes para seu funcionamento, são aquisições fundamentais: computadores, impressoras, scanners, TV para a recepção e telefones, além da contratação de uma empresa de software de gestão

Itens básicos como móveis de escritório, assentos para a recepção, bancadas, mobílias para as salas de consultas também devem estar na lista. Há ainda aparelhos médicos indispensáveis, como balanças, oxímetros, e estetoscópios, aparelhos para medir pressão, bem como equipamentos de grande porte, como eletrocardiógrafo, mamógrafo, endoscópio (dependendo da especialidade da clínica). 

Para essas aquisições, é essencial fazer um planejamento de gastos, mas isso dependerá do tipo de clínica que pretende abrir. Não se esqueça dos gastos fixos com folhas de pagamento, contabilidade, contas de água, luz e internet, impostos etc. Esses são alguns pontos relevantes para iniciar a abertura de sua clínica médica, começando da maneira mais profissional e planejada, visando bons resultados a médio e longo prazo.

Por Tatiana Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *