Mercado para clínicas médicas pós pandemia

Atualizado em 02/11/2020Estratégia

Confira as dicas da Support Health na hora de abrir seu negócio e descomplique a burocracia das documentações

Estruturar qualquer negócio no Brasil é um desafio. Avaliar custos, procedimentos, montar estrutura e contratar pessoal são algumas das demandas que surgem logo num primeiro momento. Uma das tarefas consideradas essenciais nessa empreitada é planejamento. Por isso, vale seguir as dicas da Support Health. Nós te ajudamos a pensar sobre a sua clínica desde a estrutura, passando pela necessidade de documentação, até a gestão dos processos. 

Primeiro, é importante dizer que uma clínica de saúde é uma empresa que presta serviços e atividades que sejam relacionados à saúde, sendo elas de odontologia, medicina, fisioterapia, nutrição, psicologia, fonoaudiologia, exames, dentre outros, ou, uma integração entre todas elas. Podemos dizer também que estes estabelecimentos oferecem atendimento com ou sem internação, ou de apoio à diagnose e terapia.  Vale ressaltar que, no Brasil, o órgão responsável pela categorização das unidades de saúde privadas é a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Ela já definiu 54 categorias para estabelecimentos de atendimento médico, considerando suas finalidades e serviços ofertados.

E, se você ainda tem dúvidas sobre abrir ou não sua clínica médica, esta é a hora de decidir pela aposta nesse novo mercado de saúde pós-pandemia. Nós trouxemos dados que apontam um crescimento na procura por serviços de clínicas médicas, que tem se tornado um empreendimento rentável e lucrativo no Brasil. Isso ocorre porque esse nicho tem atendido a população que está insatisfeita com o serviço prestado pelo Estado, através do Sistema Único de Saúde (SUS), e que também não tem condições de pagar por planos de saúde. 

De acordo com um balanço realizado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), somente este ano, mais de 250 mil beneficiários deixam seus planos de saúde. Isso representa uma queda de 0,5%, segundo Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), produzida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). No total, segundo a ANS, o segmento conta, agora, com 46,8 milhões de beneficiários. “No início da pandemia pelo novo Coronavírus, em fevereiro e março, houve mais adesões do que cancelamentos aos planos médico-hospitalares. A partir de abril, o setor passou a registrar sucessivas baixas, particularmente intensa em maio e menos intensa em junho, resultado do elevado número de demissões, interrupção de atividades, fechamentos de empresas ou ainda da perda de poder aquisitivo”, avaliou nesse balanço da IESS, José Cechin, atual superintendente executivo do instituto.

Ou seja, esta é a hora de tirar o projeto da gaveta e abrir sua própria clínica médica. Hoje em dia, quem não pode mais contar com o plano de saúde, uma das saídas encontradas tem sido a busca por clínicas. Neste contexto, as clínicas se tornam uma oportunidade para os que desejam empreender na área de saúde. E uma das vantagens desse tipo de empreendimento é que a maioria dos pacientes paga diretamente à Clínica pelos serviços prestados. Vale dizer que os serviços oferecidos deverão ser limitados a atos e procedimentos, todos reconhecidos pelo Conselho Federal de Medicina.

Ainda dentro desse nicho de mercado de clínicas, se você pretende trabalhar com terapias injetáveis, saiba que este é um segmento que tem crescido no Brasil e no mundo. Os injetáveis são oligoelementos minerais, vitaminas, antioxidantes, metiladores, aminoácidos que permitem o organismo atingir escala nutricional de excelência. Com isso, o paciente restaura sua saúde, melhora do quadro clínico de forma muito mais rápida. Mas, fique atento: para abrir sua clínica, é preciso estar ciente sobre a documentação mínima exigida pelos órgãos reguladores. Isso é fundamental para o sucesso do seu empreendimento! 

Por isso, listamos neste artigo, os documentos essenciais de amparo ao profissional médico. Como qualquer negócio no Brasil, para você ser dono do seu negócio, é necessário obter um alvará de funcionamento. Como você pretende atuar na área da saúde, com terapias injetáveis, é necessário ter um alvará sanitário vigente que conste que, além de atendimento clínico e consultas, existe a instalação do serviço médico ambulatorial onde você realiza atividades de centro de infusão de medicamentos. Lembrando que ele deve ser compatível com as determinações do código municipal. Sim! Há regras de diversos órgãos reguladores que incluem esfera municipal, estadual e federal. E não se esqueça de que também é necessário alvará do corpo de bombeiros vigente, um alvará de localização e plano de gerenciamento de resíduos atualizado (PGRSS).  

Como dissemos no começo desse artigo, empreender exige planejamento. Por isso, abra sua clínica com a certeza de que todos os documentos necessários já estão prontos. Além da documentação que mencionamos, você também irá precisar de documentação com procedimentos operacionais padrão (Pop´s), documentos de treinamentos da equipe e documentos de controle de temperatura de geladeira. Mas, este último, só em casos de se trabalhar em sua clínica médica com substância termolábil. 

Como todo segmento há instâncias que analisam os pedidos e validam a abertura ou não de um negócio, também vale dizer que, pelo tipo de empresa que você irá abrir, é importante saber que o contrato da empresa deve ser submetido previamente para a aprovação junto ao Conselho Regional de Medicina. Depois disso, ele deve seguir os trâmites na Junta Comercial ou Cartório de Registro de Documentos.

Por fim, nossa última orientação é que o responsável pela clínica de injetáveis deve ser um profissional médico, devidamente cadastrado no Conselho Regional do Estado. Assim, ele poderá realizar terapias, independentemente de sua especialidade. Reforçamos também que é essencial que esse profissional possua algum curso ou conhecimento técnico suficiente para realizar o trabalho com segurança e eficiência. 

Além disso, para auxiliar o profissional médico nos procedimentos junto aos pacientes, é importante que ele tenha ao seu lado, no âmbito da clínica, uma profissional de enfermagem. Esse profissional pode ter curso superior ou técnico em Enfermagem. Com isso, você terá uma equipe mínima para a realização das terapias injetáveis de modo assistida e segura. Ah, e não se esqueça de manter essa equipe devidamente registrada, em normatização CLT, ou terceirizada através de contrato de pessoa jurídica.

Qualquer dúvida, entre em contato conosco e receba mais dicas sobre gestão de clínicas médicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *