Medicina Integrativa: o que é e seus principais benefícios

Atualizado em 06/07/2021Clínico

Buscando formas de tratamento mais efetivos, cura e qualidade de vida, a medicina está em constante evolução. O termo medicina integrativa, passou a ser usado ao se referir a uma forma de tratamento integrado e humanizado, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e que reafirma a importância da relação entre o paciente e o profissional de saúde.

Atualmente, as pessoas buscam formas de tratamentos mais eficientes e humanizados, uma relação mais próxima entre pacientes e profissionais da saúde. Uma dessas formas de tratamento é a medicina integrativa, que trata o paciente de forma integrada e humanizada. A medicina integrativa é uma ótima forma de aumentar a qualidade de vida e fidelizar pacientes.

De acordo com a SciELO (Scientific Electronic Library Online), a adoção da medicina integrativa “levará à diminuição de gastos, devido ao cuidado integral, prevenção de doenças e promoção da saúde com que opera.” A Medicina Integrativa coloca o paciente como personagem principal do seu tratamento, ou seja, ele deixa de ser um receptor de remédios, exames e começa a se ver como principal agente para sua saúde.

Entenda o que é medicina integrativa

“Medicina Integrativa é a prática da medicina que reafirma a importância da relação entre o paciente e o profissional de saúde. Ela é focada na pessoa em seu todo, informada por evidências e faz uso de todas as abordagens terapêuticas adequadas, com profissionais de saúde e disciplinas para obter o melhor da saúde e cura (health and healing).” – Academic Consortium for Integrative Medicine & Health.

A medicina integrativa é uma modalidade de medicina que integra aspectos físicos e emocionais do paciente, abordando de forma completa o processo de cura, se preocupa em oferecer um tratamento, que trata o paciente como um todo e não apenas a doença. Esta prática da medicina propõe uma verdadeira parceria do médico e seu paciente para a manutenção da saúde. O tratamento inicia-se ao colocar o paciente como centro do processo, ele como seu próprio agente de saúde, assim o paciente deixa de participar passivamente do tratamento e passa a participar ativamente, cuidando da própria saúde, afinal a saúde é uma responsabilidade individual. Todos os fatores da vida do paciente são levados em consideração, eles reconhecem não apenas sintomas, mas situações estressantes, alimentação, e outros aspectos.

Como a medicina integrativa trabalha com a interdisciplinaridade, ela pode ser constituída por vários profissionais da saúde além dos médicos, como nutricionistas, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros. Todos trabalhando de forma integrada para oferecer o melhor atendimento ao paciente, com o objetivo de oferecer um atendimento humanizado que age na cura das doenças, prevenção das mesmas e promoção de saúde.

Durante todo o tratamento, esses profissionais da saúde, tem como objetivo proporcionar melhores condições de vida para o paciente, visando não apenas a cura de uma doença estabelecida, mas uma efetiva melhora na qualidade de vida dele. E é pensando na individualidade de cada pessoa, que um plano de tratamento é desenvolvido exclusivamente para o paciente, levando em consideração seu estado atual, seus objetivos e o ambiente em que está inserido.

Relação médico e paciente

Fortalecer a relação entre o médico e paciente é parte fundamental na medicina integrativa, pois somente assim o profissional da saúde enxergará o paciente por completo, com um olhar mais humanizado, escutando seu paciente e criando uma relação duradoura. Não é simplesmente conhecer seus sintomas, também é preciso saber quem é o paciente, sua rotina, vida social, situação econômica, enxergando esse paciente como ser humano em sua totalidade. Nesta relação, os médicos trabalham como parceiros do paciente durante todo o tratamento.

A relação entre médico e paciente é extremamente importante para a medicina integrativa, pois todo o tratamento é baseado na individualidade do paciente, levando em consideração aspectos como sua personalidade, sua forma de se relacionar com o mundo, entre outros. Nesta prática, são reunidos profissionais de diversas áreas e formações, pois a interdisciplinaridade é essencial para o cuidado completo e amplo. Diferentemente da medicina tradicional, na medicina integrativa a saúde é a soma da área biológica, emocionais, sociais, mentais e espirituais. A medicina integrativa faz uso da medicina tradicional como cirurgias, remédios, associada à práticas meditativas, relaxamento, técnicas de respiração, yoga, florais, massagens, acupuntura, sempre baseando-se em evidências, relacionando segurança e eficácia. 

Princípios da Medicina Integrativa

  • Para cada paciente é desenvolvido um plano de tratamento individualizado, baseado em suas demandas e necessidades.
  • O médico atua como parceiro no processo do paciente, no processo de cura e na saúde.
  • ​O paciente é agente ativo no tratamento, é parte do processo de decisão do plano de tratamento.
  • O plano de tratamento é compartilhado e integrado entre todos os profissionais de saúde envolvidos.
  • ​Todas as abordagens terapêuticas, profissionais de saúde e disciplinas são consideradas.
  • A saúde é vista de todos os ângulos: bem-estar físico, mental, emocional, social e espiritual.
  • Os pacientes são orientados a reconhecer, administrar e diminuir os fatores estressantes.
  • Os pacientes recebem orientações nutricionais, pois os alimentos são fundamentais na promoção da saúde.
  • As influências ambientais no processo de cura e na saúde são abordadas, investigadas e consideradas no plano de tratamento.

Vantagens da medicina integrativa

  1. Prevenção de doenças

Como a medicina integrativa cuida do paciente e não apenas da doença, diversos aspectos são trabalhados, mesmo que não estejam diretamente ligados à doença. Assim, os médicos conseguem curar uma doença e prevenir diversas outras que poderiam vir com o tempo, sem um foco total no cuidado e atenção.

2. Humaniza o atendimento

A saúde integrativa proporciona a humanização do atendimento, afinal, o médico observa o indivíduo como um todo, e não somente a doença. Sendo assim, esta é uma maneira de oferecer um serviço bem além da prescrição de medicamentos.

3. Melhora na qualidade de vida dos pacientes

Como na medicina integrativa o paciente deixa de ser passivo durante o tratamento, ele se engaja mais durante o tratamento. Com esse tratamento amplo, a qualidade de vida do paciente melhora consideravelmente, afinal, ter uma boa saúde vai muito além do que curar doenças, mas buscar o equilíbrio e a prevenção durante toda a vida.

4. Complementa a medicina convencional

A medicina integrativa não descarta a medicina convencional, afinal ela veio para complementar, não sendo necessário escolher um método e rejeitar o outro.

5. Oferece bem-estar

As pessoas buscam por um envelhecimento saudável e com qualidade, e isso pode ser alcançado por meio da medicina integrativa. Como o tratamento é feito com uma equipe multidisciplinar, essa medicina trata tanto os sintomas quanto sua causa, além de propor a prevenção de doenças e detecção precoce destas.

Como oferecer um tratamento integrativo?

A medicina integrativa requer muito estudo e dedicação, assim como todas as demais áreas da saúde. Antes de propor medicamentos e tratamentos para um paciente, considere todas as abordagens terapêuticas, todos os profissionais de saúde. O plano de tratamento deve ser algo integrado e compartilhado entre todos os profissionais de saúde envolvidos nele. Você mesmo pode indicar um médico que complemente o seu atendimento e vice versa, assim fica mais fácil acompanhar a evolução do paciente e você garante uma melhoria contínua na saúde deles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *